PIPOCA

Resumo: Com o intuito de compreender a pipoca como símbolo, o presente estudo buscou compilar uma multiplicidade de informações. Desse modo, foram descritas as características e o cultivo do grão zea maiz inverta e, sua utilização contemporânea nas áreas da nutrição e ciência ambiental.

Para apreender a pipoca no imaginário coletivo, buscou-se as narrativas míticas dos povos Iroquês e Ioruba. Os aspectos simbólicos do fogo também foram abordados, pois ele é elemento fundamental para a conversão do grão de milho em pipoca. Também alguns paralelos simbólicos de elementos inerentes a pipoca, como o “estouro”, o “avesso” e a conversão de “grão duro em massa macia” foram relacionados respectivamente com os conceitos de complexo, sombra e a operação alquímica da calcinação – calcinatio. Diante da apresentação de dois casos clínicos nos quais a pipoca foi utilizada como miniatura em cenas da terapia de sandplay, foi possível inferir que a pipoca pode simbolizar a configuração de uma disposição interna  que leva ao confronto com o “avesso”. Consequentemente, esse confronto tende a favorecer a dissolução de complexos psíquicos.

Mais informação: maritaliba@me.com.

GANSO

Resumo: Este artigo discute o papel simbólico do ganso e o seu significado na Terapia do Sandplay. Psicologicamente os pássaros podem ser vistos como símbolos fálicos mas que possuem poderes de sublimação e espirituais. Nas histórias de contos de fadas os pássaros podem comunicar desejos de amor. Eles podem também simbolizar pensamentos, imaginação e relações espirituais. Traços essenciais do arquétipo materno podem ser vistos no ganso. Um significado positivo é que a måe ganso nutre, cuida e sustenta os filhotes. Por outro lado um significado negativo é a agressividade na proteção dos filhotes e do território. Na minha prática da Terapia do Sandplay as miniaturas do ganso ocorrem com mais frequência nas crianças do que com os adultos. Observo que na maioria dos casos as crianças usam mais o ganso nos estágios iniciais do processo terapêutico enquanto que os adultos tendem a usar nos estágios finais do processo. O símbolo do ganso parece acionar a história das emoções da infância e crenças, isto remete a conteúdos mais arcaicos do nosso inconsciente. Por um longo tempo as penas de ganso foram usadas como instrumento de escrita. Escrever a respeito do ganso como símbolo que foi muito importante para mim desde a minha infância estimulou a minha imaginação e me ajudou a construir meu processo criativo.

Mais informação: reinaldamm@hotmail.com

 

AMPULHETA

Resumo: Este estudo, qualitativo, discute o valor da ampulheta como símbolo moderador e compensatório de processos unilaterais da experiência com o tempo, buscando nas raízes arquetípicas uma compreensão da força carreadora deste símbolo para o processo terapêutico. Sabe-se que a abordagem teleológica junguiana trata a imagem simbólica como possível ativadora de forças psíquicas, agregando a elas um sentido próprio dentro do processo psíquico, daí a importância do método da amplificação para o trabalho analítico e para o Sandplay. A simbologia da ampulheta valoriza o encontro sincronístico entre o tempo linear de Kronos e o tempo simbólico de Kairós, conjunção esta que traz ao processo terapêutico mais fluxo, moderação e transformação no lugar de impasse e estagnação. Neste percurso, cada repetição leva a um novo lugar, a uma nova síntese, a um novo ponto na espiral do desenvolvimento, facilitando e refinando o intercâmbio e possível integração dos opostos. Finalizamos este estudo concluindo que ao objetivar conteúdos do inconsciente, em um ato do próprio indivíduo, neste caso, através da experiência do Sandplay, as imagens internas podem operar em conjunto com o consciente. Como Jung elucida, a compreensão intelectual e emocional das imagens também possibilita ao paciente uma integração consciente, não só racional, mas também moral.

Mais informação: rogerel@terra.com.br